quinta-feira, 18 de outubro de 2012

O Homem Urso (Grizzly Man)

"O Homem Urso" (2005) é um documentário do diretor Werner Herzog, ele nos mostra a história de Timothy Treadwell, que conviveu com ursos pardos durante 13 verões em um parque no Alasca. No início dá a impressão que Timothy é daqueles ecologistas doidões que se exibem ao mostrar algum animal. Mas no decorrer nos emocionamos com a personalidade desse cara, e até em alguns momentos o julgamos louco de verdade. O que faz uma pessoa se abster de viver na sociedade e se meter a viver com ursos, e até preferir ser comido por eles? Quando somos introduzidos à vida de Timothy percebemos todas as nuances, bipolaridades e angústias. Timmy tentou ser ator, mas acabou se frustrando, então resolveu por conta própria e sem nenhum preparo acadêmico, estudar e cuidar dos ursos. Por treze anos ele se instalou na península do Alasca durante o verão, às vezes acompanhado, e nos últimos anos, com uma câmera na mão, com a qual registrou aquilo que chamava de pesquisa. Timmy achava que os ursos precisavam de ajuda, de um protetor, mas o que vemos durante o documentário é um marasmo só, ninguém os perturbava. Em dado momento é entrevistado um homem conceituado que nos revela o instinto do urso pardo, e o quanto Timothy estava equivocado em querer ajudá-los. O urso pardo é considerado um dos animais mais perigosos do mundo.
Herzog tem adoração em tentar desvendar a mente das pessoas, e ele sabia que tinha um ótimo material nas mãos (as fitas gravadas pelo próprio Timothy), assim ele nos coloca a frente desse personagem, que por vezes é mostrado como um louco, e outras corajoso. Mas é fascinante ver o amor que tinha pelos animais, era como se fosse um tipo de salvação, um mundo que descobriu e resolveu mergulhar sem medo. Aliás, medo era uma coisa que ele não tinha, convivia de maneira respeitosa com os ursos, sabia o que cada ruído significava, o modo de andar e de se comportar. E com certeza o próprio Timmy se sentia um urso.
Por mais que Treadwell se julgasse amigo dos ursos e achasse que estava ganhando a confiança dos animais, percebe-se que isso era fruto de sua imaginação e que, em vários momentos, ele esteve bem próximo do perigo. Ele acabou descobrindo isso mais tarde. Sendo devorado por um de seus "amigos" em outubro de 2003. Essa foi a primeira agressão do tipo registrada no Parque Nacional e Reserva Katmai. Herzog coloca de maneira sutil suas impressões no documentário, sem revelar sua verdadeira opinião. A cena final é extremamente impactante, Herzog narra o instinto do urso, que talvez tenha comido Timothy, é mostrado o urso mergulhando, e o que parece ser adorável, na verdade é feroz, o foco nos olhos do animal revela que não há compaixão, mas apenas instinto.

Algumas cenas são até engraçadas, o jeito com que Timothy trata as raposas, que essas sim são amigáveis e dóceis, uma beleza da natureza. Sua voz sempre suave ao falar com os ursos, nos apresentando-os pelos nomes: Sargento Brown, Mickey, Saturno, Mr. Chocolate, e ele não se cansava de dizer o quanto os amava. Ao mesmo tempo sentimos carinho, pena e raiva desse ser humano que quis ultrapassar as leis da natureza. Cada vez mais solitário, percebemos que ele queria estar ali, não havia outro lugar no mundo em que preferisse estar.
É um retrato intenso de alguém que decidiu viver com os animais ao invés de continuar vivendo seus dias na sociedade.

Importante dizer que Timothy foi encontrado morto junto à namorada Amie Huguenard, ambos devorados pelos animais. Amie é uma incógnita nas imagens de vídeo que o próprio Treadwell fez, raramente ela aparece, nem conseguimos ver seu rosto. É dito que Amie tinha medo dos ursos, mas mesmo assim acompanhou Timmy várias vezes. Da última, ela estava, e ao ver seu namorado sendo comido, não correu seguindo o pedido dele, ela ficou até o fim. No meio do documentário Herzog ouve a fita que foi encontrada no local, os gritos, a dor, tudo está registrado, e Herzog visualmente impactado disse para a ex-namorada de Timothy que destruísse aquela fita. Um momento realmente impressionante!
Até que ponto o isolamento é saudável, e principalmente, quais os limites entre o Homem e a Natureza? Essas questões permeiam todo o filme. Cada um deverá interpretar Timothy de uma maneira. Difícil definir a sua personalidade, ela era recheada de incoerências e paradoxos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...