quarta-feira, 12 de junho de 2013

Maníaco (Maniac)

"Maníaco" (2012) é remake de um clássico slasher (sub-gênero do terror) dos anos 80. Ambos retratam de maneira crua a perturbação na mente de um psicopata, mas há muito mais elementos positivos no remake, como a ambientação, a trilha sonora e a câmera em primeira pessoa, onde vemos os acontecimentos sob o olhar do maníaco, tudo isso contribui para um clima sufocante e doentio. Frank Zito possui uma loja de manequins femininos, da qual restaura antigos modelos, ele é um verdadeiro psicopata que ataca em uma pequena cidade norte-americana. O principal foco deste assassino frio são as garotas, as quais são encontradas pela internet e posteriormente brutalmente assassinadas. Após acabar com suas vítimas o serial killer ainda retira seus escalpos para que adornem seus inúmeros manequins.
Elijah Wood faz de seu maníaco memorável, uma atuação incrível da qual mostra uma perturbação latente, o vemos sofrer de dores de cabeça insuportáveis, falando e alucinando com sua mãe, principal motivo por ele distorcer a imagem das mulheres. Sem dúvida ele coloca seu psicopata ao lado dos melhores do cinema. O personagem fisicamente aparece pouco por conta do estilo de filmagem, mas é possível ver seu rosto nos espelhos ou quando interage com alguém.
Quando conhece Anna, uma fotógrafa que pede emprestado alguns de seus manequins para uma exposição, sua perturbação aumenta, pois de início a enxergava de um modo puro, seus impulsos estavam controlados, mas conforme a história avança as coisas se complicam e ele não consegue segurar seus instintos.
É uma bela homenagem ao Maníaco original, que nos faz lembrar destes clássicos cults dos anos 80. O remake nos presenteia com cenas assustadoras, especialmente a dos escalpelamentos, há a frieza de um psicopata, sangue, violência e a atmosfera sombria, podemos sentir de perto a respiração ofegante de Frank enquanto ele pega suas vítimas, somos conduzidos pela história sob seu olhar e percebemos como a sua mente é frágil e inconstante. Interessante como ele é inserido na sociedade com sua solidão e insanidade, sua busca por mocinhas bonitas, seu trabalho na loja de manequins e suas mãos sempre tão machucadas. Anna aparece como um respiro para Frank, mas o que inicialmente parecia beneficiá-lo a se manter são, se revela muito mais perturbador e opressivo.

Dirigido por Franck Khalfoun (P2- Sem Saída - 2007), o filme respeita o original, mas sobretudo, homenageia, é válido para quem curte o estilo denominado gore. Tudo no longa foi bem acertado e caprichado, enfim, é um ótimo remake.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...