quinta-feira, 28 de junho de 2018

Thoroughbreds

"Thoroughbreds" (2017) dirigido pelo estreante Cory Finley é um thriller psicológico com pitadas de humor negro que vai criando aos poucos uma atmosfera tensa e sombria, a violência implícita garante uma certa elegância às cenas, mas também gera agonia pela frieza que envolve o ambiente. É um filme de várias camadas e um estudo interessantíssimo de personagens.
Lily (Anya Taylor-Joy) e Amanda (Olivia Cooke), duas meninas adolescentes no subúrbio de Connecticut se reconectam numa amizade improvável após anos distantes. No processo, elas aprendem que nenhuma das duas é o que aparenta ser - e que um assassinato pode resolver ambos os seus problemas.
Amanda começa a frequentar a mansão de Lily, a estranha relação vai estreitando à medida que elas encontram pontos em comum e decidem planejar o assassinato do padrasto de Lily, as duas se complementam, Lily vive de forma tediosa depois de ser expulsa do colégio, não possui amigos e carrega um semblante de menina educada da alta classe, Amanda surge para dar asas a sua maldade, já que sua ausência de sentimentos lhe permite agir como bem quer sem nenhum tipo de consequência grave, o passado com o seu cavalo reflete perfeitamente a sua personalidade apática, a todo momento em que as duas estão juntas percebe-se um amadurecimento mútuo, Lily vê em Amanda a aliada ideal para dar cabo de seu padrasto que vive lhe ditando ordens, Amanda então dá a ideia de contratar alguém para fazer o serviço, daí surge Tim (Anton Yelchin), um drogado que ambiciona ter uma boa vida igual a de Lily, ele é deslumbrado com a riqueza, mas não tem a maldade em si, o que o faz dar para trás no plano. As coisas vão ficando sinistras conforme Lily vai saindo de seu casulo e mostrando quem realmente é, Amanda não se importa nem quando percebe que sua amiga está lhe usando. 
É um filme estiloso e frio que jamais revela a sua violência, ela está contida nos gestos que aos poucos vão sendo expressados pelas protagonistas, a ambientação dá ainda mais sensação de indiferença e os jogos mentais e diálogos complementam a atmosfera magnética.

Amanda não sente absolutamente nada, e por conta disso é dona de diálogos memoráveis, como a descrição da morte de seu cavalo ou ela ensinando a técnica para chorar, essas coisas vão penetrando na mente perturbada de Lily e consequentemente a fascinando, o tédio que permeia e o estilo de vida tanto de uma como a da outra desencadeia anseios ruins, como planejar a morte do padastro de Lily.

"A única coisa pior do que ser incompetente ou ser rude ou ser perversa é ser indecisa."

"Thoroughbreds" possui uma estranheza instigante e que tem na interpretação de Olivia Cooke e Anya Taylor-Joy - a nova estrela do terror - peculiaridades e um ótimo estudo de personagens, o amadurecimento acontece de formas tortas e todo o contexto em que vivem só aumentam a onda de desinteresse e insensibilidade que se apodera das meninas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...