sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Sede de Sangue (Bakjwi)

"Sede de Sangue" (2009) dirigido por Chan-Woo Park é um filme diferente relacionado aos mordedores que se tornaram tão populares nos últimos tempos. O renomado diretor sul-coreano é mestre e sempre entrega trabalhos incríveis ao público.
A história segue o padre Sang-Hyeon interpretado pelo sensacional Song Kang-Ho, que se torna voluntário em um instituto que busca a cura para o mortífero VE - Vírus Emmanuel. Sang-Hyeon se submete a um experimento perigoso e acaba desenvolvendo a doença. Mas depois de ser declarado morto, ele ressuscita e passa a ser considerado santo. Sentindo-se diferente, ele percebe com o tempo que desenvolveu um apreço especial por sangue humano.
Descontente com as mortes no hospital em que dá assistência Sang-Hyeon quer fazer algo mais concreto pelas pessoas e assim decide se tornar cobaia em um experimento na África, depois de vários testes com vacinas ele morre, mas graças a uma transfusão de sangue o padre ressuscita e é aí que as coisas mudam de figura. Aos poucos suas percepções vão mudando e seu corpo precisa de sangue para conseguir se manter saudável. A religiosidade o impede de matar as pessoas para se nutrir, então ele pega bolsas de sangue do hospital ou toma pelo canudo em que o sangue passa até chegar à pessoa. O seu vampirismo também está diretamente ligado a sua obsessão por sexo, que finalmente é liberada, incluindo o amor pela esposa de um amigo de infância, o que resulta em sequências de cenas de sexo que tomam grande parte do filme, especialmente quando a mulher descobre o seu segredo e se fascina com a sua condição, pedindo para ele exibir seus poderes como vampiro, que o possibilita, por exemplo, a dobrar uma moeda ao meio e pular de um prédio para o outro.
Tae-ju (Kim Ok-bin) é uma garota órfã, que acabou sendo criada pela senhora Ra e se casou com seu filho, o infame sempre doente Kang-Woo (Shin Ha-Kyun). Esse encontro acaba despertando no padre, pouco a pouco, estranhas sensações. Tae-ju é totalmente o oposto do padre, ela fica deslumbrada com a liberdade que pode ter se for transformada. E ao ser, não tem escrúpulos, parece querer descontar o sofrimento que passou em qualquer um, sugando o sangue só pelo prazer de matar e não apenas o de suprir sua necessidade, ao contrário de Sang-Hyeon que é cauteloso quando busca seu alimento. Há momentos de muita confusão e caos, tudo desmorona, vidas comuns transformadas em um verdadeiro terror. O vampirismo no longa é tratado como doença e isso é um dos fatores que o faz tão diferente, além do humor nada convencional que várias cenas trazem. O roteiro é envolvente e passeia muito bem pelo Thriller psicológico e pelo romance/drama em que os personagens se encontram.

O diretor Chan-Woo Park acerta já de primeira ao colocar um homem dito santo (padre) numa condição extremamente oposta. Violência, sexo e sangue é o que não falta, aliás nem era para faltar já que se trata de uma história que envolve vampiros. A criatividade e como o filme se desenrola, a maneira da filmagem e o desfecho que vai da comédia ao terror faz de "Sede de Sangue" uma obra completamente distinta. É única e audaciosa. Um filme para poucos, para quem já conhece o ritmo do cinema asiático, e principalmente de Chan-Wook Park irá gostar de cara. E para quem curte vampiros é um ótimo respiro em meio a tantos filmes certinhos e sem graça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...