segunda-feira, 27 de junho de 2016

The Cut

"The Cut" (2014) dirigido por Fatih Akin (Do Outro Lado - 2007) é um filme intenso sobre o genocídio armênio, a saga do personagem em busca das filhas é penosa e melodramática.
Mardin, 1915: numa noite, a polícia turca vai atrás de todos os homens armênios na cidade, incluindo o jovem ferreiro Nazaret Manoogian, que acaba separado de sua família. Anos mais tarde, depois de ter conseguido sobreviver aos horrores do genocídio, ele ouve que suas duas filhas ainda estão vivas. Ele se fixa na ideia de encontrá-las e sai nessa missão. Sua busca o leva desde os desertos da Mesopotâmia e Havana até as pradarias áridas e desoladas da Dakota do Norte. Nesta odisseia, ele encontra uma gama de pessoas muito diferentes: personagens de bom coração, mas também o próprio diabo encarnado.
O filme faz um mergulho profundo no que foi esse capítulo da História turco-armênia, e que hoje em dia é um assunto considerado tabu na sociedade turca, o filme é um registro da crueldade e de todo o sofrimento desse povo, um trauma do qual precisa ser refletido. 
Nazaret (Tahar Rahim) é um ferreiro que tem sua casa invadida em uma noite de 1915, deixando para trás a mulher e as duas filhas gêmeas. Junto com outros homens armênios, ele é obrigado a fazer trabalho pesado, construindo estradas como prisioneiro dos otomanos. Todos são tratados com violência e, quando a construção termina, sumariamente assassinados. O turco encarregado de cortar seu pescoço, condenado à prisão por roubo, consegue apenas romper suas cordas vocais, deixando-o mudo, então ele parte para sua jornada, é acolhido por um fabricante de sabão, encontra a cunhada à beira da morte em um campo de concentração e finalmente descobre que as suas filhas sobreviveram, e então vai atrás das duas em Cuba e depois nos Estados Unidos.
Tahar Rahim garante grande força a seu personagem, toda a sua expressão e carga emocional está explicitada em seus olhos, para ser entendido passa por inúmeras situações desagradáveis, mas também encontra seres humanos bondosos que o auxiliam na busca. O filme mescla História, drama, aventura e western com um ritmo bem regular, é dividido em capítulos que mencionam os períodos e locais envolvidos. 

As cenas de violência sem dúvidas se sobressaem, o início do filme impacta, não que o desenrolar perca a força, mas o começo acaba impressionando e emocionando mais. 
"The Cut" é didático, proporciona momentos visuais deslumbrantes e a trilha sonora composta por Alexander Hacke é marcante e condizente, principalmente a música que segue Nazaret o filme todo, além também de contar com a participação de Hindi Zahra no elenco, como a esposa de Nazaret, ela contribui com a bela canção "Everything To Get You Back".

O cinema de Fatih Akin é autoral, tem a característica de ultrapassar fronteiras geográficas e culturais. "The Cut" é a última parte de uma trilogia intitulada "amor, morte e diabo", a primeira parte é "Contra a Parede", 2004, a segunda, "Do Outro Lado", 2007. "The Cut" é um épico histórico/dramático muito bonito e importante, mas falha especialmente na confusão de idiomas, o protagonista fala em inglês quando está entre armênios, mas quando chega nos EUA não compreende a língua, mas não é algo que compromete o valor da obra. É um ótimo filme e fecha de forma magistral a trilogia de Fatih Akin.

Um comentário:

  1. Do diretor assisti apenas "Do Outro Lado" e gostei bastante.

    Preciso conferir estes outros dois filmes.

    Abraço

    ResponderExcluir

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...