sexta-feira, 8 de abril de 2016

Flores Silvestres (Kytice)

"Kytice" (2000) dirigido pelo tcheco F.A. Brabec (Máj - 2008), é uma série de sete curtas ligados tematicamente e baseados nas baladas (poema narrativo de assunto lendário) escritas há 200 anos por Karel Jaromír Erben, considerado por alguns como o equivalente tcheco de William Shakespeare. Elas são histórias populares, bem conhecidas pelos tchecos. A aura é de conto de fadas, mas todos com atmosfera sombria. O tema é a morte e acompanhamos histórias que ora são absurdas e bizarras, ora tristes e cruéis.
O primeiro conto que dá nome ao filme "Kytice" (Flores Silvestres) é sobre uma mulher que morre em uma tempestade. Ela é enterrada e seus filhos cuidam de seu túmulo, que floresce. Este episódio atua como suporte para os outros preparando o enredo e humor para os que o sucedem.
O segundo intitulado "Vodník" (Homem das Águas) conta sobre uma garota que vai até o rio apesar dos alertas de sua mãe sobre o perigo que ela tem previsto. A garota cai no rio e é levada e se torna esposa de uma criatura que vive lá. Ela dá luz a um filho, mas deseja ver sua mãe novamente. O barqueiro alerta ela sobre as terríveis consequências do seu possível retorno. Este mito eslavo é muito conhecido, e sem dúvida, um dos mais interessantes apresentados, a criatura que vive nas águas, cujo corpo é coberto por algas coleciona suas vítimas no fundo dos lagos. A moça ao cair nas águas rapidamente é transportada e seduzida, porém com o passar do tempo ela se sente angustiada por querer voltar e ver a sua mãe. O final não poderia ser mais trágico.

O terceiro conto é sobre uma jovem virgem, que reza pelo retorno de seu noivo da guerra, não importando o preço. Entretanto, ela não sabe que ele morreu durante a guerra e quando sua oração é respondida, ela não percebe que ele retornou do túmulo e quer levá-la com ele. Esse carrega traços de um humor negro, ao mesmo tempo que diverte, aterroriza.
O quarto conto "Polednice" (A Bruxa do Meio-Dia) retrata uma mãe cansada, ela prepara a comida na cozinha e está frustrada pelos choros constantes de seu filho. Ela ameaça a criança dizendo que a bruxa irá levá-la embora se não parar de chorar. A bruxa ouve seu chamado. Essa história cria uma tensão irritante, o choro da criança é estridente e incessante, a bruxa está passeando por lá, é hora do almoço, e desnorteada a mãe acaba pedindo que leve o seu filho, claro, se arrepende, mas a bruxa não se importa.

O quinto conto chamado "Zlatý Kolovrat" (A Roca de Ouro), diz sobre um príncipe real, ele observa uma linda jovem banhando-se no bosque, então descobre onde ela vive e exige tê-la como esposa. Mas sua madrasta planeja matar a jovem e colocar sua própria filha no lugar dela. O jovem rei durante uma caçada se apaixona por uma bela fiandeira. Pede à horrível madrasta da jovem que a leve até seu castelo. Esta concorda, mas no caminho juntamente com sua filha, mata a jovem, corta mãos e pés, além de arrancar seus olhos. Coloca tudo em um saco e mãe e filha seguem em direção ao castelo. Ao chegarem o rei confunde a filha da madrasta e acaba se casando com ela. Mas um homem misterioso encontra o corpo da bela e envia um mensageiro ao castelo com uma proposta: trocar as mãos por uma roca de ouro, o pés por um fuso para a roca e os olhos por um carretel. Consegue fazer a troca e com auxílio de uma água mágica junta os pedaços e a moça volta à vida. Ao retornar da guerra, o rei pede à sua esposa para que teça alguma coisa para ele e enquanto ela o faz, a roca de ouro revela o crime ao rei. Ele corre para a floresta, encontra sua verdadeira amada e vivem felizes para sempre. Tanto a madrasta como sua filha são devoradas por lobos.

O sexto conto "Dcerina Kletba" é sobre uma moça que mata o filho bastardo e é enforcada pelo crime. Prestes a ser enforcada ela amaldiçoa sua devota mãe. O último conto "Štedrý den" (Christmas Day) retrata as antigas tradições de natal, os desejos, o destino, tudo visto em rituais.
A trilha sonora composta por Jan Jirásek é especial e contribui demais para o clima do filme, a fotografia também se destaca, cada conto exibe o seu diferencial, é um longa mágico, poético, obscuro e cheio de signos. "Kytice" é ótimo para se encantar com a cultura e as lendas tchecas, o macabro é posto de forma delicada, tudo é envolto por um fino véu de sutilezas, temas brutais e tristes são regados a poesia. É um filme lindo que cativa os curiosos e os amantes do cinema tcheco. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...