sexta-feira, 26 de julho de 2013

Quando Nietzsche Chorou (When Nietzsche Wept)

"Quando Nietzsche Chorou" (2007) é baseado no livro homônimo de Irvin D. Yalom. É um conto fictício, embora trabalhe com personagens reais. A história é sobre o encontro do filósofo Nietzsche com o médico Josef Breuer, ambos encontravam-se em fases atormentadas: Nietzsche apresentava tendências suicidas (o ano provável é 1882, quando Assim Falava Zaratustra ainda não tinha sido lançado), Nietzsche costumava dizer que era um filósofo póstumo, e que seus alunos ainda não haviam nascido, enquanto Breuer estava passando por uma crise por ter se envolvido com uma de suas pacientes, Bertha Pappenheim (a qual era referida como Anna O). Lou Salomé, única paixão da vida de Nietzsche e namorada de Paul Rée, procura Dr. Breuer para que ele trate do famoso filósofo com a sua nova e controversa técnica de terapia através da fala, sem que este se dê conta de que está passando por uma sessão de terapia. Para convencer Nietzsche a permanecer em Viena, Dr. Breuer inventa uma tática engenhosa: diz que vai tratar a parte física de Nietzsche, que sofria de enxaquecas terríveis, enquanto este o ajuda a entender seus próprios problemas através da filosofia. Ambos os homens passam, então, a encontrar-se todos os dias e suas vidas mudam drasticamente.
Nietzsche consegue perturbar Breuer logo que começa a falar de seus sintomas ou sobre sua filosofia, o Dr. é um ser inteligente, porém aprisionado em seus próprios sentimentos e verdades, Nietzsche o ensina a ter um pensamento livre e analisar suas escolhas. O filme é fraco em relação ao livro, que é recheado de diálogos e informações, o filme acabou condensando fatos e personagens, deixando-os sem profundidade. Claro que filme e livro tem linguagens diferentes, mas é recomendado que seja assistido só por quem tenha lido o livro, de outra forma ele se torna cansativo e efêmero.
Ler Nietzsche é como abrir gavetas que estavam fechadas há tempos, ele expõe a realidade de maneira seca e você que se vire para lidar com isso. A verdade é incômoda, porém obrigatória. Apesar de ser um encontro fictício, há fatos verídicos e as filosofias de cada um são fiéis. O que a história quer passar é que independente de seus personagens, falar e desabafar ajuda aliviar o peso que carregamos, ele mostra o início da psicanálise tão difundida por Freud tempos depois, este que também aparece no filme e tem longas conversas com o Dr. Breuer sobre o estado de Nietzsche e do próprio Breuer, que encontra a cura de seus pensamentos obsessivos através da hipnose.

Não é um filme profundo, mas válido para quem leu o livro, retrata um pouco os pensamentos de Nietzsche que tanto perturbavam Breuer. O que no início era apenas um acordo com Lou Salomé para tratar do desespero de Nietzsche ao mesmo tempo em que tratava de sua enxaqueca, se tornou um encontro de dois seres pensantes que ficaram amigos pelo método da fala.

"Quando Nietzsche Chorou" virou um best-seller, se trata de uma ficção histórica escrita por Yrvin D. Yalom, psicanalista norte-americano. A história simula o encontro do pioneiro médico Dr. Josef Breuer, mestre do grande psicanalista Sigmund Freud com o revolucionário filósofo Friedrich Nietzsche. A trama desenrola-se no cenário da Viena do século XIX, iniciado a partir de um encontro feito pela jovem Lou Salomé, amiga de Nietzsche (por quem ele se apaixonara), com o proeminente médico que havia ficado famoso por curar a ainda obscura Histeria: o Dr. Josef Breuer. A jovem inicia seu contato afirmando que o futuro da filosofia alemã está em jogo, pois o grande filósofo Nietzsche corria o risco de suicidar-se. Assim, solicita ao Dr. Breuer  que o atenda, mas, para isso, Nietzsche precisa acreditar que trata-se apenas de uma consulta clínica sobre suas fortes dores de cabeça. Isso deve-se ao fato de que Nietzsche tem como premissa a questão da dívida presente nas relações sociais, jamais podendo aceitar receber uma ajuda, sendo necessário haverem valores pré-estipulados de troca, o que não era possível no ainda experimental tratamento psicológico, além de não admitir que possuía problemas que não fossem as suas enxaquecas.
Como o livro propõe Nietzsche é apenas um personagem, não espere encontrar o grande filósofo Nietzsche, mas dá para ter uma ideia de muitos de seus pensamentos, os diálogos com o Dr. Breuer são interessantíssimos e nessa parte simplesmente avança-se muito na leitura, não é uma leitura profunda, mas cria-se muita simpatia por ela, ainda mais depois de ler a nota do autor.
"Quando Nietzsche Chorou" tornou-se um livro pop, mas isso não o torna menor, ao contrário, esse sim deve ser o tipo de leitura que deve ser disseminada e compreendida em sua totalidade.

"Jamais alguém faz algo totalmente para os outros (...) todas as ações são autodirigidas, todo serviço é autosserviço e todo amor é amor próprio."

"O desespero é o preço pago pela autoconsciência. Olha profundamente para dentro de si e sempre encontrará o desespero."

"A vida é uma centelha entre dois vácuos idênticos: a escuridão antes do nascimento e aquela após a morte."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...