terça-feira, 24 de outubro de 2017

The Little Hours

"The Little Hours" (2017) dirigido por Jeff Baena (Joshy - 2016) é um hilário filme inspirado na obra-prima "Decamerão", de Boccaccio. Irreverente, malicioso e divertido adentramos em um cenário criativo que mesmo se passando na era medieval se utiliza de gírias e trejeitos modernos, não há pudor e o humor rola solto.
A história se situa na Idade Média, as freiras Alessandra (Alison Brie), Fernanda (Aubrey Plaza) e Ginerva (Kate Micucci) vivem em um monótono monastério comandado pelo padre Tommasso (John C. Reilly). Quando um homem viril e bonito chamado Masseto (Dave Franco) é trazido pelo padre Tommasso como um novo aliado para o trabalho no monastério, apresentado como um homem mudo, ele deve lutar para manter seu disfarce enquanto as freiras tentam resistir a tentação. O que ele não imaginava é que encontraria um convento cheio de freiras emocionalmente instáveis, no decorrer todas as freiras quebram o celibato com Massetto e se rebelam de maneira muito cômica.
No início vemos as freiras passeando pelos arredores e do nada uma delas, interpretada por Aubrey Plaza começa a xingar o homem que trabalha no jardim, não há motivo algum e nem chega a ser uma piada, é uma situação absurda apenas. Percebemos aí que não é um filme que se possa catalogar. Na verdade, o filme assume um tom de deboche sobre o catolicismo e tudo que é considerado pecado pela religião. Todo o tédio é quebrado com a chegada de um belo jovem que foge de um palácio por ter tido um caso com a esposa do seu mestre. Ele ajuda o padre que está bêbado na estrada e em troca o leva para o convento e lhe dá trabalho, mas sabendo do temperamento das freiras o protege e diz para fingir ser surdo-mudo. O padre não para de beber o vinho sagrado, a freira Alessandra sonha em ter um relacionamento, a freira Ginerva descobre-se lésbica, além de ter a característica de ser dedo-duro, Fernanda é violenta, histérica e ao longo descobrimos mais coisas sobre ela. É uma bagunça e tanto e muitos diálogos são improvisados, todas as três fazem de tudo para fazer sexo com Massetto, inclui-se aí até uma poção para seduzi-lo e inúmeros pecados são cometidos.

Em determinado momento chega um Bispo (Fred Armisen) para visitar o local e, claro, se depara com estranhas atitudes e pecados inimagináveis, a lista é imensa e ninguém escapa, até a madre que parecia a mais centrada. O julgamento é uma das cenas mais incríveis e tira o sarro de tudo que envolve o pecado. Com total desprendimento em suas situações disparatadas essa comédia medieval não é indicada para pessoas puritanas, mas para quem curte histórias desprovidas de seriedade é uma ótima pedida. 

"The Little Hours" foi filmado na Toscana, então garante uma bela paisagem, as atuações são inspiradas e espontâneas, além das três freiras doidonas - destaque para Kate Micucci na pele de Ginerva - o padre interpretado pelo ótimo John C. Reilly garante bons momentos em cena, Dave Franco como o brinquedo sexual das freiras ganha nossa simpatia, não dá pra não rir de sua feição sempre sorridente enquanto falam com ele.
É um filme despojado e politicamente incorreto, não é transgressor mesmo sendo polêmico, mas quebra e brinca sem nenhum receio com tudo que envolve a religião.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...