terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Mimosas

"Mimosas" (2016) do diretor franco-espanhol Oliver Laxe (Todos São Capitães - 2010) é um épico místico impressionante, mesmo não o compreendendo por inteiro exerce um fascínio inexplicável, é difícil colocar em palavras a sensação causada.
Acompanhamos a jornada de um Sheikh idoso e moribundo que viaja através do Atlas marroquino em uma caravana, escoltado por dois bandidos, para cumprir o último desejo de sua vida. O caminho é tortuoso, pedregoso e no meio da caminhada o mestre sufi Sheikh acaba falecendo. Ahmed (Ahmes Hammoud) e seu amigo Said (Said Aagli) se oferecem para levar o corpo à cidade de Sijilmasa, claro que com intenções de tirar algo de valor. Em outro mundo além do espaço-tempo, Shakib (Shakib Ben Omar) recebe a missão para que encontre Ahmed e seu amigo com o corpo do Sheikh e os conduzir até o destino previsto, além de tentar restabelecer a fé de Ahmed. Mas, inúmeros contratempos surgem nesta empreitada e Shakib se vê desesperado e precisando tomar decisões.
O filme é dividido em três episódios intitulados com rituais de oração: Reverência, Elevação e Prostração. Shakib é uma espécie de anjo enviado do futuro para auxiliar a caravana a seguir sua jornada e chegar a seu destino, Ahmed estava acompanhando o Sheikh com intenções de roubar, porém com o passar dos dias entre tantas adversidades seus sentimentos são testados, ele é um homem sem fé que necessita de algum modo ultrapassar as barreiras do caminho, a força da natureza é filmada magistralmente.
O caminho é traiçoeiro e praticamente intransitável, entre terrenos montanhosos, desfiladeiros, muita neve e cursos de água torrenciais testam a todo o tempo a força desses homens, além disso, aparecem uns fanáticos atirando, uma mistura de situações que acabam resultando no processo místico de se restabelecer a fé, o que nada tem a ver com religião, pois é preciso ter fé para conseguir obter coragem e transpor seus limites, Shakib não esperava encontrar tantas dificuldades e por isso fica perdido, porém sempre se volta para sua fé e enxerga dentro de si o que precisa ser feito. Este é um personagem confuso, tem um quê de enigmático e pueril, a cena em que é apresentado ele está a falar sobre um conto curioso sobre Deus e o Diabo, deveras interessante observá-lo em toda a peregrinação e sua interação com os outros, principalmente com Ahmed.

É um filme intenso com muitas camadas e interpretações, talvez pela distância cultural o exotismo produza a fascinação, a paisagem é deslumbrante, o trabalho de fotografia de Mauro Herce é belíssimo e hipnotizante, o desenvolvimento é lento e por vezes embaralhado, mas é uma experiência cinematográfica única.  
Os personagens enfrentam em meio a jornada dilemas morais, perguntas são feitas, vida e morte, fé e destino, porém nenhuma delas são respondidas. Imergimos dentro deste cenário, observamos os rostos cheios de dúvidas, ações estranhas advindas de situações inesperadas, outros personagens surgem dando mais significado à trama. O épico místico de Oliver Laxe tem um quê de faroeste, é um filme com uma narrativa sinuosa, cenas suntuosas e atores amadores com um desempenho surpreendente.

"Mimosas" é daquelas raras produções que conseguem causar efeitos duradouros, impossível não se encantar de algum modo, seja pela história, paisagem, personagens, ou a aventura mística pela cordilheira do Atlas marroquino.

3 comentários:

  1. Mais um filme que eu não conhecia.

    Parece ter imagens belíssimas.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Gostaria de assistir a esse filme mas não o estou encontrando. Se puder ajudar, agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renato! Esse filme assisti no Sesc de Araraquara, acredito que não tenha disponível na Internet, também procurei e não encontrei, mas tem distribuidora brasileira e vai estrear em Maio.

      Excluir

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...