quinta-feira, 19 de maio de 2016

Zurique (Zurich)

"Zurique" (2015) dirigido por Sacha Polak (Hemel - 2012) é um drama pesado que se desenrola aos poucos ao mostrar as dores da protagonista, vivida pela cantora holandesa Wende Snijders. A atuação sem dúvidas é o ponto forte do filme, é realmente dolorido acompanhar a sua triste trajetória. Nina perde seu grande amor Boris, um caminhoneiro, mas após a morte acaba descobrindo que ele mantinha uma vida dupla, tendo filhos e esposa. Tentando lidar com seus sentimentos, ela comete um ato questionável e foge. O filme é um road movie e sua narrativa não linear vai descortinando aos poucos o porquê de suas atitudes.
A falta de linearidade ajuda na sensação de estar à deriva, assim como a personagem ficamos perdidos tentando entender os motivos, é aflitivo. Nina sofre pela perda do amor, pelo fato de não poder participar do enterro, por não ter direitos, ainda mais por ter uma filha pequena, ela foi a outra, mas não sabia. Dentro deste amargo contexto ela se infiltra na cena caminhoneira, dirige pelas estradas, pega caronas e toma atitudes estranhas, canta em bares e se envolve num romance, claramente atos autodestrutivos.
Dividido em dois capítulos, começando pelo final da história, "Zurique" garante o fator surpresa e um clima angustiante. Por vezes somos tomados por poesias visuais, principalmente quando introduzidos às lembranças dela junto de seu amor, a cena inicial envolvendo um acidente e uma chita é belíssimo, um simbolismo surreal. A interpretação de Wende Snijders é sublime, ela alterna entre a crueza, a antipatia e uma profundidade emocional, sua confusão é dilacerante e a atriz o faz elegantemente sem pender para o melodrama.
"Zurique" retrata o como é difícil ter que lidar com situações inesperadas, com surpresas dolorosas. Nina ficou desnorteada, desamparada, necessitando de contato humano como tentativa de se confortar, o presente que acompanhamos inicialmente é uma maneira de se livrar de todo o passado, mas se ela não for capaz de encará-lo jamais conseguirá. É um filme contemplativo em que descobrimos aos poucos os porquês, e por isso incomoda, mas é algo que enaltece o longa.

O romance que Nina inicia com um caminhoneiro reflete o como se sente desamparada, ela se apega, mas não compartilha nada de si com o homem, ela parece querer sugar tudo dele para tentar começar uma nova vida, e isso acaba piorando ainda mais sua confusão.
"Zurique" é uma história densa e que ao final deixa uma sensação desoladora, mas é bonito, requintado e maravilhosamente bem atuado por Wende Snijders, que além de ser uma excelente cantora se mostra uma atriz surpreendente. 

Para quem quiser conhecer mais de Wende Snijders como cantora: "Tower Song", trilha do filme "Zurique", "Formidable", versão da música de Stromae, "La Vie en Rose", versão da música de Édith Piaf.

Um comentário:

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...