terça-feira, 29 de março de 2016

Príncipes da Estrada (Prince Avalanche)

"Príncipes da Estrada" (2013) dirigido por David Gordon Green (Joe - 2015) é uma refilmagem do filme islandês "Á Annan Veg" (2011), e de forma despretensiosa conta a história de dois trabalhadores da rodovia que vão passar o verão de 1988 longe da cidade em que vivem. A paisagem isolada torna-se um lugar de desgraça, já que os homens encontram-se em desacordo um com o outro e com as mulheres que deixaram para trás.
Alvin (Paul Rudd) é um homem que aprecia a solidão e seu trabalho reflete em sua personalidade, ele passa longos períodos nas rodovias, pintando faixas, colocando placas, etc. Em um desses serviços Alvin decide contratar Lance (Emile Hirsch), irmão de sua namorada, o rapaz tem dificuldades em se posicionar na vida e não parece ter muitas ambições. O local em que estão foi atingido por um misterioso incêndio, onde grande parte da floresta foi destruída, assim como algumas casas e famílias. O lugar tem uma aura melancólica e fantasmagórica, os personagens secundários que por vezes dão as caras intensificam este clima. 
Juntos eles vivem momentos de tédio, descontração e de muita solidão. Alvin é um cara tranquilo que não vê o silêncio e a solidão como algo ruim, já Lance é impaciente e custa para se adaptar ao trabalho. Pouca coisa acontece, mas acompanhamos uma evolução importante na vida dos dois, tanto na amizade que se forma, como na mudança que se faz interiormente nos dois. Paul Rudd está surpreendente, um homem sério, delicado e que não tem medo de expor seus sentimentos. Emile Hirsch também está ótimo e proporciona momentos que vão da monotonia à intensidade. 
O filme é marcado por diálogos interessantes, mesmo que seja por vezes regado a filosofia barata, traz a questão de que não há fórmulas para uma relação dar certo, seja ela de romance, amizade, ou qualquer outra. Alvin, por exemplo, trabalha duro, se distancia da mulher que ama, tudo em prol do bem-estar deles, mas o que recebe em troca é egoísmo e desamor. Lance é um menino perdido que nem sabe onde está, vai para onde o vento o levar, o trabalho e a convivência com Alvin ao final dá uma certa direção, a amizade que se constrói aos poucos faz com que ele tenha com quem compartilhar suas aflições, e de certo modo crescer interiormente, assim como Alvin que chora pelo amor, mas sabe que é uma pessoa que merece o melhor.
"Príncipes da Estrada" tem um clima melancólico, o ambiente aumenta essa sensação, não se passa carros por lá e o serviço se torna em vão, isso serve como uma metáfora para a vida, onde você se esforça, se quebra, e que mesmo assim parece que nada acontece, porém sem perceber a transformação está se realizando.

David Gordon Green sem dúvida é um cineasta que sabe percorrer por caminhos diversificados, de comédias escrachadas, como "Pineapple Express" (2010) a filmes independentes, como "Joe" (2015). É sempre satisfatório acompanhar diretores que se arriscam e que dão a chance a atores já tão estereotipados no gênero comédia, no caso, Paul Rudd. Ele é a maravilha do filme, se destaca e nos apaixonamos completamente por sua personalidade, claro, inquestionável a complementação de Emile Hirsch na trama também. Outro ponto a acrescentar é a trilha sonora, a canção "Bad Connection" foi composta por Emile Hirsch e Paul Rudd e é ela que dita o tom do filme.
"Príncipes da Estrada" é um filme simples e que não tem pretensão nenhuma, é delicioso acompanhar a evolução da amizade dos personagens.

Um comentário:

  1. Gosto deste tipo de filme e não conhecia este.

    Realmente Paul Rudd está marcado como ator de comédias. No início da carreira ele chegou até a interpretar vilão em suspense, mas depois se entregou as comédias.

    Abraço

    ResponderExcluir

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...