terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

A Salvação (The Salvation)

"A Salvação" (2014) do diretor dinamarquês Kristian Levring (Não Tenha Medo de Mim - 2008), cujo o roteiro é assinado por Anders Thomas Jensen (Brothers - 2004), tem como ator principal o sublime Mads Mikkelsen (A Caça - 2012). A trama é simples e não há rodeios, ela gira em torno da vingança que Jon (Mads Mikkelsen) deseja executar.
América de 1870, um pacífico colono americano mata o culpado por assassinar sua família, o que desperta a fúria do líder de uma famosa gangue local. Os covardes moradores da cidade traem sua confiança e delatam sua localização e plano para o bandido. Sozinho, ele é forçado a caçar a gangue com as próprias mãos.
Jon e seu irmão Peter (Mikael Persbrandt) já estão estabelecidos na América, então Jon vai receber sua mulher e filho depois de tantos anos separados, mas acontece que dois sujeitos os assassinam brutalmente, Jon, por sua vez, dá cabo dos bandidos, mas o que ele não contava é que um deles é o irmão de Delarue (Jeffrey Dean Morgan), um famoso malfeitor do local, isso trará consequências bem desagradáveis a Jon e a seu irmão. Eles são presos e a morte de Jon está certa, porém ele consegue fugir com ajuda, e então precisará se desdobrar para conseguir acabar com Delarue e seus comparsas.
O filme é um respiro para o gênero faroeste, assim como o recente "Slow West" (2015), é um drama que mistura alguns gêneros, como ação e romance, mas é fortemente fincado na vingança executada, desse modo não sobra espaço para floreios, é seco e direto.
Eva Green faz Madelaine, que é chamada de princesa, ela teve a língua arrancada, suas feições são duras e ela exprime toda a sua força a partir do momento que ela percebe que Jon pode terminar com o temível Delarue, irmão de seu finado marido. Ela é de grande valia para a trama, apesar de não ser uma personagem recorrente. O bang-bang é outro ponto positivo, são cenas bem executadas e nos prende a atenção. A trilha sonora e a fotografia são belíssimas e complementam a aura austera do filme.

O início já demonstra o quão cru a história é, a violência não é poupada e a sede de vingança vai aumentando de acordo com as situações. O vilão realmente é odiável e torcemos para que Jon o mate da forma mais cruel. 
A ambientação e o figurino estão ótimos e também vale enaltecer a fidelidade ao contexto histórico. A trama foi bem construída e não enrola, e a atuação seca de Mads Mikkelsen coroa esse western dinamarquês.

"A Salvação" tem todos os requisitos que um filme de faroeste necessita, e ainda se destaca pelo primor de sua estética e pelo roteiro simples, que não deixa de ser perspicaz. 

Um comentário:

  1. Estou curioso para assistir este western produzido por europeus, assim como o citado "Slow West".

    Até maias

    ResponderExcluir

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...