quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

O Presente (The Gift)

"Eu acredito que as coisas ruins na vida, elas podem ser um presente."

"O Presente" (2015) dirigido pelo ator Joel Edgerton (A Estranha Vida de Timothy Green - 2012) é um filme estimulante, muito bem construído e com ótimas pitadas de sarcasmo. Ele trata de bullying, ganância, arrogância, mentiras e vingança. O suspense se mantém durante todo o filme e surpreende em seu final. Simon (Jason Bateman) e Robyn (Rebecca Hall) casaram há pouco tempo e estão muito felizes até o dia em que ele reencontra Gordo (Joel Edgerton), um colega de escola. Um segredo do passado dos dois vem à tona e Robyn se sente cada vez mais insegura perto do companheiro.
Joel Edgerton fez um excelente trabalho, ele roteirizou, dirigiu e protagonizou, realmente merece elogios, compôs um personagem interessante que passa para o espectador diversos sentimentos, Gordon Mosley, ou apenas Gordo, é um sujeito que aparece do nada na vida de Simon e Robyn, o casal se mudou a pouco tempo para a cidade onde Simon cresceu, ele recebeu uma ótima proposta de emprego, então decidiram recomeçar as suas vidas e formar uma família. Gordo aborda Simon, que insiste em não saber quem ele é, mas após alguns minutos se recorda. Daí em diante Gordo passa a presentear o casal, aparece na casa em momentos em que Simon não está, e aos poucos isso se torna incômodo. Robyn é sempre solícita, mas Simon desdenha de Gordo. 
O filme proporciona a dúvida sobre esses personagens, a princípio Simon parece ser o cara que venceu na vida por seu esforço, e Gordo um invejoso que não tem muito para se vangloriar. Mas isso muda no desenrolar, a reviravolta acontece quando Robyn passa a ver Simon com outros olhos ao descobrir um passado obscuro. 
Jason Bateman sai de sua zona de conforto, os filmes de comédia, e interpreta um sujeito indiferente, não é uma atuação louvável, mas cai perfeitamente para o que a história pede. Rebecca Hall como Robyn exibe várias nuances, a confusão que a toma é interessante. Joel Edgerton é a estrela e é incrível a sua sutil manipulação em torno dos dois, ele é um sujeito com papos estranhos e que deixa presentinhos na porta da casa, se sente por baixo e se infiltra na vida do casal como se fossem íntimos. 

"O Presente" está longe de ser um filmaço, mas garante uma ótima reviravolta, boas interpretações, um clima magnético e uma trama detalhista que se desenvolve lentamente.  Por vezes nada acontece, mas não se engane a tensão está presente a todo instante, e estes momentos são imensamente importantes para o seu grande desfecho.
O tema é complexo e assustador, demonstra o quanto uma situação ruim pode transformar o ser humano, a violência psicológica é feroz.

Simon é o tipo de ser humano que facilmente encontramos por aí, ganancioso, inescrupuloso, mas que veste a sua máscara social e se mostra digno e perfeito. Gordo vem para desmascará-lo e fazê-lo sofrer as consequências de seus atos. Nada mais tenebroso do que conviver com a dúvida e Gordo dá a Simon o mesmo que recebeu.
Joel Edgerton em sua estreia como diretor já nos brinda com um Thriller psicológico interessante e inteligente. "O Presente" está disponível na Netflix.

Um comentário:

  1. Eu vi várias vezes o cartaz deste filme, mas tinha a impressão de ser um suspense picareta, ao estilo "Corrente do Mal" e similares.

    Joel Edgerton é um bom ator australiano, não sabia que ele havia dirigido este filme.

    Vou colocar na lista.

    Até mais

    ResponderExcluir

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...