quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Somewhere in Palilula (Undeva la Palilula)

"Somewhere in Palilula" (2012) dirigido por Silviu Purcarete é um filme romeno surreal recheado de humor negro, uma experiência e tanto para aqueles que gostam de se enveredar por estilos diferentes.
Em algum lugar no Palilula somos levados a década de 60 na Romênia e apresentados à história de Serafim, um recém graduado da faculdade de medicina, trazido por capricho de um destino sombrio para a cidade de Palilula. Nada é o que parece ser. Palilula é uma cidade fantasma, perdida no meio da planície Vallahian. Uma área de quarentena, um sanatório, um hospital improvável, uma clínica ginecológica em um assentamento onde nenhuma criança nasce, uma comunidade de italianos que esqueceu sua língua, mas não a nostalgia de sua música tradicional. Nesse lugar o jovem médico Serafim não vai conseguir exercer sua profissão como pediatra, nesta cidade sem filhos, terá que se afogar no mel doce e envenenado do lugar, como uma mosca presa por um sapo.
Palilula é um local esquecido e misterioso, as pessoas do local são peculiares e cheias de manias, a bebida, por exemplo é uma constante. Por nada de interessante acontecer tudo é motivo de comemoração; esse conto bizarro contém diversas metáforas, algumas impossíveis de decifrar. Mas é uma baita produção, belíssima fotografia, cenário, trilha sonora hipnotizante e uma narrativa diferenciada que seduz e entorpece. Serafim é um jovem médico pediatra que se vê de repente em Palilula, mas não há crianças no local, não se permite que nenhuma nasça, porque se nascer exige-se que alguém morra e isso é inconcebível lá. Eles próprios mantém suas regras, os médicos que nada têm a fazer dizem que eles são os doentes. Serafim não demora para incorporar o espírito do local, ainda mais depois de começar a brindar em razão disso e daquilo.
Os personagens exibem características curiosas, somos apresentados aos habitantes e logo somos absorvidos pela história que apresenta situações surreais. Ao mesmo tempo que o filme é melancólico, do nada vira um imenso carnaval. As atuações são inspiradas e deveras muito teatral. Fantasioso, mas alegórico, são parodiados por exemplo, o regime soviético, a religião, e tudo que se refere ao país.
"Palilula, Palilula! Doce terrível inferno! Amor e vergonha de minha juventude! Meu depósito de lixo. Jovem, verde, paradisíaco..." Serafim nunca mais conseguiu deixar o lugar, uma espécie de magia, de decadência, a cidade o engoliu. 
Loucuras atrás de loucuras, festas estranhas, como a que um grande número de rãs é servida e uma apresentação de ópera é vista. Diálogos e histórias que se repetem e intensificam a aura do lugar. Tudo vai indo, indo, até chegar o apogeu de insensatez. Sobra apenas Serafim, que nos conta esta história, quer dizer...

"Somewhere in Palilula" é um longa criativo, repleto de personagens interessantes, um clima totalmente absurdo, mas que cativa e diverte, além da fotografia ser lindíssima e a trilha sonora um grande componente.
Interessante, divertido, surreal, misterioso e bizarro, Palilula é um lugar do qual a imaginação corre solta, certamente um filme que ficará num cantinho especial da memória, mas é preciso embarcar na história, aí sim valerá a pena. 

3 comentários:

  1. Mais uma obra que não conhecia e pelo seu texto deve ser um filme bem estranho.

    Até mais

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Não posto links por ter tido problemas com isso já, mas dê uma vasculhada no Laranja Psicodélica que você acha!

      Excluir

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...