terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Instinto Materno - Child's Pose - Pozitia Copilului

"Instinto Materno" do diretor romeno Calin Peter Netzer é um filme intenso que gera bastante discussão.
É uma noite fria de março, Barbu (Bogdan Dumitrache) está de carro, a 50 km/h acima do limite de velocidade, quando ele atropela uma criança. O garoto morre logo após o acidente. Uma pena de prisão entre três e quinze anos o aguarda. Hora de sua dominadora mãe, Cornélia (Luminita Gheorghiu), intervir. Arquiteta formada e membro da classe alta da Romênia, enfeita suas estantes com livros não lidos de Herta Müller e é afeiçoada por sua bolsa cheia de cartões de crédito. Ela começa uma campanha para salvar seu fraco e apático filho. Com subornos, ela espera que irá convencer as testemunhas a dar declarações falsas. Mesmo os pais da criança morta podem ser apaziguados por algum dinheiro.
Peter Calin Netzer retrata uma mãe consumida pelo amor-próprio, em sua luta para salvar seu filho perdido e também sua família, há tempos dividida. Num estilo quase documental, o filme reconstrói meticulosamente os acontecimentos de uma noite e dos dias que se seguem, fornecendo uma visão minuciosa e contundente sobre o mal-estar moral da burguesia da Romênia e das instituições do Estado, como a polícia e o judiciário. O cinema da Romênia vem crescendo significativamente expondo temas contemporâneos, é um pequeno grande cinema que deve ser explorado com toda certeza.
Em "Instinto Materno" acompanhamos atentamente a trajetória de uma mãe que se coloca à frente para limpar a barra do filho, aconselha-o a mentir em sua declaração, vai atrás da testemunha para combinar e oferecer dinheiro, desdenha dos policiais, enfim ela tem uma gama de artimanhas para 'proteger' seu filho, do qual não se dá muito bem com ela, aliás a família já havia sido quebrada restando somente as aparências. A atriz Luminita Gheorghiu é a estrela do filme representando o papel de uma mulher frustrada que tenta de forma torta e egoísta trazer seu filho de volta para perto. Barbu já é um homem feito e está em crise com sua namorada, ele se distanciou da mãe e foi morar sozinho, mas é claramente mimado, incapaz, mal educado e inseguro.
Segue-se muitas conversas ao longo do filme e em todas elas ficamos abismados, pois é nítido que Barbu estava em alta velocidade ao atingir a criança, mas mesmo assim as coisas são tratadas friamente e é muito fácil manipular provas. O poder, dinheiro e influências nesses momentos tem um grande peso. A família da criança só é retratada no final, são pessoas humildes que não sabem o que fazer com o sofrimento e pedem justiça. Para Cornélia tudo pode ser consertado com uma quantia significativa e em nenhum instante pensa que uma criança foi tirada dos pais, causa mal-estar ver tanto egoísmo.

Barbu parece não se importar, quer se esconder e pouco fala, raras vezes o vemos preocupado, e não é à toa já que sua mãe o trata como uma criança, aliás é o que ele realmente é, o título original do filme exemplifica bem essa ideia, Child's Pose é uma posição da yoga em que consiste se sentar nos calcanhares com os braços estendidos para frente e que pode ser encarada também como uma postura submissa.
Ao longo do filme vamos tirando conclusões sobre os personagens, e lá pelo final vai dando um enjoo absurdo, a atitude em relação a família do menino é o principal motivo. Cornélia por se sentir superior pensa estar acima de qualquer lei e isso é muito triste, pois sabemos que é algo que acontece bastante, são injustiças atrás de injustiças. A proteção que vemos Cornélia exibir não é exemplo de amor e sim de posse e egoísmo, uma forma de alimentar sua alma vazia.

A cena final em que vão na casa da família prestar condolências, que na verdade é para oferecer dinheiro e talvez conseguir amenizar a situação de Barbu, é impactante. Cornélia entra na casa enquanto ele fica no carro, nos deparamos com um pai que não sabe nem o que dizer e uma mãe em prantos desconsolada que fica falando sobre o como o filho era estudioso e prestativo, Cornélia parece querer competir com a dor daquela mulher dizendo do distanciamento do seu filho, tem um momento que ela não para de falar e demonstra claramente sua frustração, é embaraçoso e gera um misto de sentimentos. A última cena fecha perfeitamente, extremamente significativa e repleta de emoção.
"Instinto Materno" é interessante, tem ótimos diálogos, uma atuação magistral de Luminita e traz um tema que é capaz de criar vários pontos de vista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...