terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Sono de Inverno (Winter Sleep)

"Winter Sleep" do excelente diretor turco Nuri Bilge Ceylan é um filme que vai se aprofundando em seus personagens ao longo de suas 3h16, são diálogos primorosos e densos que retratam a complexidade do comportamento humano e que chegam a durar mais de 20 minutos. Não é um filme fácil, mas não cansativo, ele te prende do início ao fim, observamos pessoas frustradas, deslocadas e que lentamente vamos descobrindo. Ceylan é o cineasta turco mais importante da atualidade, suas características são marcantes e únicas, em seus filmes podemos contemplar silêncios, paisagens, planos abertos e uma fotografia melancólica e fria, vide "Distante" (2002), "Três Macacos" (2008) e "Era uma Vez na Anatólia" (2011). Em "Winter Sleep" o silêncio é substituído por diálogos muito bem construídos e hipnotizantes, é preciso saber antes de tudo que se está diante de uma bela obra de arte.
O protagonista Aydin (Haluk Bilginer) é um ex-ator de teatro que herdou do pai um hotel escavado nas rochas da região da Anatólia, onde vive com sua esposa Nihal (Melisa Sözen) e sua irmã Necla (Demet Akbag), e também administra outros negócios e algumas casas alugadas. Sua vida é pacata e se resume em escrever para um pequeno jornal local sobre temas variados, como religião e política, além de elaborar seu livro sobre teatro.
Acompanhamos a vida destes personagens e devagar vamos traçando seus perfis, Nihal é bem mais nova que Aydin e deixou tudo pra trás para se casar, vive à sombra do marido, mas tenta conseguir ser útil criando um grupo filantrópico, mas não é nos outros em que está pensando, toda essa estratégia é para ter independência. As reuniões são feitas na casa, porém Aydin nunca participa, o que gera a sua desconfiança e contestação, o relacionamento deles é distante e é visível o como Aydin a oprime. Necla, recém divorciada sente-se entediada no local e dialoga sempre com seu irmão sobre seus textos para o jornal, há muita hipocrisia entre eles, mas Necla em vários momentos diz tudo o que acha de Aydin, especialmente o como se ilude ao tentar passar superioridade sendo que é completamente frustrado, essas conversas são um dos melhores pontos, são crescentes, recheadas de cinismo e falsa modéstia.
Aydin vê defeito em todos, se utiliza do seu poder, patriarcado e comete preconceitos, e ainda continua fingindo não ver sua miserável existência e sempre que pode pisa nos outros para se sentir melhor. Logo no começo vemos a cena e que um menino joga uma pedra e quebra o vidro do carro de Aydin, o empregado sai e pega o garoto que tenta fugir, ele é filho de Ísmail, inquilino de Aydin, um pobre homem que não tem dinheiro, há uma grande dívida de aluguel e recentemente foi humilhado na frente da criança. Não percebemos quem está certo ali nesse início, o empregado quer dar uma lição de moral no homem e este explicitamente constrangido vai ficando nervoso, Aydin vê tudo de longe. O irmão de Ísmail chega e acalma os ânimos e promete pagar tudo, faz cara de coitado, mas quando se vão os xingam. Por várias vezes aparece no hotel para que o garoto peça desculpas pelo vidro, é nítido o como ele quer parecer submisso para que sintam pena e amenizem a situação do dinheiro. Aydin o repudia.

"Winter Sleep" respeita os diálogos e é neles que contém a essência do filme, são acalorados e revelam personagens complexos numa aparente tranquilidade que é ampliada pelo local, lá no fundo todos são mesquinhos e egoístas. Quase pro final do filme há uma discussão com um professor, aí revela-se exatamente quem é Aydin, ele tenta de toda maneira se manter por cima, sempre ganhando, se impondo perante os outros esconde sua pobreza interior, as conversas vão revelando traços de seu caráter. No fim de tudo o ser humano mais admirável acaba sendo Ísmail, o pobre bêbado que não consegue pagar suas dívidas. A cena que Nihal vai tentar ajudar a família levando dinheiro é sensacional.
Nuri Bilge Ceylan se inspirou em Tchekhov para compor "Winter Sleep", que é um grande estudo sobre o comportamento e contradições humanas.
Impressionante o como o filme prende a atenção, ele tem um ritmo interessante que se utiliza de uma fluidez verborrágica com tons de cinismo. As trocas de farpas são bem frequentes e com isso os personagens desnudam-se e conseguimos observar o que há dentro deles, a verdade por trás de algumas atitudes e o porquê de certos relacionamentos ainda se manterem, como o de Aydin e Nihal.

Aydin é aquele cara que tem poder e dinheiro, não conquistou, herdou. Não vivenciou grandes sofrimentos, portanto não procura entender, apenas despreza, distancia-se e mantém-se em sua caverna longe da realidade. Se sustenta em sua intelectualidade a fim de espezinhar aqueles que entram em embate consigo. Um protagonista que revela-se aos poucos ao espectador e cujo efeito não é imediato. "Winter Sleep" é denso e além de seu roteiro, a fotografia é deslumbrante!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...