terça-feira, 14 de novembro de 2017

Ingrid Goes West

"Ingrid Goes West" (2017) dirigido pelo estreante Matt Spicer é uma comédia de humor negro que retrata o fanatismo, o narcisismo, a solidão, a rejeição e a superficialidade que envolve as pessoas nas redes sociais, um retrato atualíssimo e que carrega uma crítica pulsante, não se engane pelos clichês utilizados, eles são totalmente propositais para causar desconforto, a comédia suaviza a crítica, rimos de muitas situações, mas ao mesmo tempo refletimos no quanto uma boa parte dos usuários das redes sociais estão viciados em publicar posts, ganhar likes, seguidores para então se tornar uma web celebrity, se discute esse vazio que necessita ser preenchido, porém a verdade é que faz o efeito contrário e as pessoas estão cada vez mais esvaziadas.  
Ingrid (Aubrey Plaza) é uma jovem que tem como seus principais ídolos as personalidades das redes sociais. A que ela mais gosta é Taylor Sloane (Elizabeth Olsen), muito famosa e com uma vida aparentemente perfeita. Obcecada, Ingrid decide abandonar tudo e se mudar para perto de Taylor, colocando em prática o plano de se tornar sua melhor amiga. Porém, o que parecia mais um comportamento de fã, se torna aos poucos preocupante e perigoso.
O início demonstra a total insanidade de Ingrid ao curtir todas as fotos de uma moça no Instagram, são hashtags e mais hashtags, ao ver que tudo o que ela posta é perfeito, as comidas, as roupas, as festas, Ingrid se sente pra baixo e deseja ser amiga dela, e no dia de seu casamento ela aparece e causa um transtorno, o resultado disso é que acaba internada algum tempo numa instituição. De volta à vida, Ingrid refaz seu perfil e do nada fica obcecada por uma outra personalidade, Taylor Sloane, que ganha dinheiro fazendo propagandas de marcas, restaurantes e afins, é uma enxurrada de postagens agradáveis e perfeitas, Ingrid que ao invés de viver a sua vida prefere ir até Venice Beach atrás desta "celebridade" com o dinheiro que sua mãe deixou de herança. Ingrid é uma exímia stalkeadora e dessa vez não falhará, seu inteligente plano envolve o cachorro de Sloane e de fato dá certo, ela consegue se aproximar e até formar uma amizade, viajam e ficam bêbadas juntas, tiram fotos, só que é como nas redes sociais, nada tem peso e significação para Taylor, e Ingrid logo é deixada de lado por uma outra "amizade" mais interessante.

Aubrey Plaza encarna com maestria uma personalidade totalmente desequilibrada que busca algo através de redes sociais, que necessita por meio desta se destacar dos demais, ela quer ser amada por seguidores, ter milhões de likes, ter sua vida baseada nessa mentira. A saciação que estas coisas produzem são efêmeras e não se pode viver apenas em função disso, é sedutora a ideia de ser idolatrado por qualquer bobagem que se faça, como é o caso da vida da personagem de Elizabeth Olsen, mas ao mesmo tempo que soa importante se desfaz com facilidade. É preciso ter consciência de que belas postagens, as tendências e comportamentos ditados não condizem com a vida real e não podem estar a frente da realidade. É aquela velha história, se usado com moderação e para agregar é mais que válido, mas quando entra na neura de ser somente isso e mais nada, a sanidade vai embora causando grandes dores emocionais.

"Ingrid Goes West" se disfarça de comédia, mas é um drama contemporâneo ao retratar que nada mais importa do que aparentar ser "cool" e conhecido nas redes sociais, o final é totalmente coerente e mostra que quanto mais imbecil ou perigosa a atitude filmada e postada mais popularidade e, por consequência, incentivo para a pessoa continuar a tentar preencher seu vazio e solidão. O lema é: Tudo em prol do status!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...