terça-feira, 2 de agosto de 2016

A Espera (L'Attesa)

"A Espera" (2015) dirigido por Piero Messina é um filme denso que retrata a dor do luto e as consequências que o sofrimento traz à vida de quem o vivencia. Na trama acompanhamos a chegada da jovem Jeanne (Lou de Laâge) a um casarão no interior da região da Sicília, onde mora seu namorado Giuseppe, mas ao chegar se depara com uma reunião de luto e Anna (Juliette Binoche), a mãe de seu amado. A garota fica angustiada por não saber o que está acontecendo e por não saber como se comportar diante essa situação. Jeanne sai da França e chega a Itália para encontrar seu namorado, mas ela não o vê quando chega, e logo Anna diz que seu filho precisou resolver uns problemas e que retornará na Páscoa. Conforme os dias passam as duas vão criando um laço afetivo até que tudo seja esclarecido e os segredos sejam revelados.
Juliette Binoche é sublime, a sua sensibilidade, olhares e expressões, essa mulher é perfeita em todo e qualquer personagem. Lou de Laâge mescla inocência e sensualidade e nos envolve nessa aura. Jeanne dá a Anna a possibilidade de ter seu filho mais um pouco, saber mais dele, do relacionamento, então por meio de uma mentira ela vai se alimentando dia após dia da esperança de Jeanne em rever seu amor no dia de Páscoa.
"A Espera" é um filme contemplativo, são longos planos silenciosos que transmitem inúmeros sentimentos, causa angústia, raiva e tristeza o ato impensado de Anna, mas conforme o desenrolar compreendemos a sua dor, o seu vazio. Ela deseja ter Jeanne por perto e cada vez mais enreda a menina em suas mentiras, a convivência não é fácil, Anna é misteriosa e confunde Jeanne por seu comportamento estranho. Jeanne tem uma leveza, uma liberdade de ser, muitas vezes a câmera capta ela refletindo colocando em evidência a sua beleza. O importante é ter a delicadeza e a paciência de saber perceber cada coisa que acontece na história, principalmente para aquilo que não se diz. São nuances repletas de significados.
A paisagem, o casarão, os planos, tudo contribui para a sensação de isolamento e melancolia, a fotografia belíssima acentua o sentimento de dor e silêncio. É um filme em que a dor desoladora é explorada ao máximo, não tem como ficar indiferente, os closes nos rostos das personagens são constantes, é poético, profundo e cheio de metáforas.

A trilha sonora também é ponto de destaque e intensifica todas as sensações que o filme causa, em uma das cenas Jeanne dança ao lado de dois desconhecidos ao som de "Waiting for the Miracle", de Leonard Cohen, dentro da casa de Anna, ela revela uma outra face, mais sensual e extrovertida, diferente de quando chegou. 
"A Espera" revela aos poucos as facetas de suas personagens, e mesmo assim não por inteiro, é um filme de camadas que expõe a dor do luto, o vazio aterrador, a desesperança, a necessidade de apego, vulnerabilidades e desejos, carências e estranhezas, uma fase dolorida mas extremamente transformadora. 

Um comentário:

  1. O luto é talvez o sentimento mais complexo que o ser humano enfrenta. Como vc cita no último parágrafo, todos aqueles sentimentos são consequências do luto.

    Abraço

    ResponderExcluir

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...