terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Indo Para Casa (Luo Ye Gui Gen)

"Indo Para Casa" (2007) do chinês Zhang Yang (Banhos - 1999) é uma comédia de humor negro bem leve e que enfatiza valores, como amizade e lealdade, além das tradições.
A história segue Zhao (Benshan Zhao), um operário que decide levar o corpo do amigo que morre repentinamente numa mesa de bar de volta à sua terra natal, para que assim ele seja enterrado segundo as tradições do local. Sem dinheiro para transporta-lo da forma devida, tenta conduzi-lo até a cidadezinha, ele percorre quilômetros e mais quilômetros com seu amigo nas costas, no caminho passa por varias cidades do interior da China e acompanhamos diversas situações engraçadas e cheias de detalhes.
O título original dessa bela obra resume tudo, "Luo Ye Gui Gen", é um provérbio chinês que significa: "a folha que cai, retorna às suas raízes". O filme é uma espécie de road movie, todo o desenrolar é marcado por humor mesmo tratando de um assunto difícil, no início quando percebe que seu amigo está morto Zhao o coloca no ônibus e diz para todos que ele está dormindo, mas quando assaltantes invadem expõe sua situação e por incrível que pareça comove os bandidos, que até deixam todo o dinheiro que tinham roubado, é um diálogo cômico, mas revela o quão digno é esse homem que carrega seu amigo morto nas costas; os passageiros após saberem não o querem mais lá e é deixado na estrada. Ele tenta pegar carona, mas não consegue, aí ele finge que o amigo está passando mal, e assim chega numa cidade e logo se hospeda num local de caminhoneiros e tenta mais uma vez uma carona, mas o único que ia para o mesmo caminho se nega, enquanto isso todos estão curiosos com o amigo. Por Zhao ser um alguém bom de coração ele cativa as pessoas e faz com que elas falem, o cara que não queria levá-lo acaba dando uma carona e até desabafa.
São belos diálogos, belas paisagens, esse filme é aconchegante. São episódios únicos que trazem mensagens de grande teor humano, também evidencia a cultura e tradições de cada lugar retratado. Observamos durante seu trajeto a falta de solidariedade e a ignorância, mas o amor se sobrepõe de forma sublime. É um filme para guardar na memória e ser visto mais vezes durante a vida, principalmente para que lembremos de certos valores que estão se perdendo. É uma obra linda, que mostra um personagem raro, de essência pura.

"Indo Para Casa" tem cenas memoráveis, como quando Zhao decide cometer suicido e experimenta a cova e acaba gostando de estar lá, apesar que desiste de morrer, ou quando acomoda seu amigo em um grande pneu, ou veste ele de espantalho para ir roubar comida num velório do qual conversa com o "morto". Também quando conhece uma mulher que doa seu sangue para conseguir dinheiro e Zhao promete a ela que voltará depois de cumprir sua missão. Mas uma das mais bonitas se dá quando Zhao em cima de um caminhão juntamente com seu amigo morto contempla a paisagem e diz estar muito feliz, e recita: "Se minha pátria fosse uma estrada, eu seria um carro dirigindo contente por ela. Se minha pátria fosse uma árvore, eu seria uma folhinha balançando alegremente em seu tronco."

O diretor Zhang Yang consegue mesclar perfeitamente drama e comédia, tudo está na medida exata se focando em detalhes muito significativos. O filme reaviva em nós o sentimento de compaixão e solidariedade. Assim como Zhao também aprendemos, e essa lição é daquelas que jamais esqueceremos. Assistir "Indo Para Casa" é um bem que fazemos a nós mesmos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...