sábado, 24 de outubro de 2015

Haider

"A verdadeira liberdade está para além da violência. Lembre-se vingança só gera vingança."

"Haider" (2014) é a versão indiana de Hamlet (história de como o Príncipe Hamlet tenta vingar a morte de seu pai, Hamlet, o rei, executado por Cláudio, seu irmão que o envenenou e em seguida tomou o trono casando-se com a rainha), e assim como a peça traz a loucura real e a loucura fingida, do sofrimento opressivo à raiva fervorosa, e explora temas como a traição, vingança, corrupção e moralidade. Dirigido por Vishal Bhardwaj é o terceiro filme da sua trilogia Shakespeariana, sendo o primeiro, "Maqbool" - 2003 (Macbeth) e o segundo, "Omkara" - 2006 (Otelo).
"Haider" é o tipo de filme que surpreende em todos os quesitos, a sua evolução, reviravoltas, e principalmente a interpretação, a entrega do ator Shahid Kapoor, que nos deixa literalmente boquiabertos com tamanho talento. Como um bom filme indiano, "Haider" traz um roteiro redondo capaz de hipnotizar o espectador em suas 2h40 min, é uma história forte e admirável.
Em 1995, durante o conflito da Caxemira, Hilaal Meer, um médico se compromete a realizar uma operação de apendicite no líder de um grupo pró-separatista. Para evitar a detecção, ele executa a operação em sua casa, para desgosto de sua esposa Ghazala, que questiona sua lealdade. No dia seguinte, durante uma incursão militar, Hilaal Meer é acusado de abrigar terroristas. Um tiroteio segue em sua casa, o líder do grupo separatista é morto e Hilaal é levado para interrogatório. A casa do médico é bombardeada posteriormente, a fim de eliminar qualquer outro esconderijo militante lá. Vários dias depois, Haider, o filho de Ghazala e Hilaal, retorna de sua universidade para procurar respostas sobre o desaparecimento de seu pai. Na chegada, ele fica chocado ao encontrar sua mãe cantando e rindo junto com seu tio (irmão de seu pai) Khurram. Incapaz de compreender o comportamento de sua mãe, ele começa a procurar por seu pai em várias delegacias e centros de detenção com a ajuda de sua noiva Arshia, uma jornalista. A princípio, Haider supõe que o motivo tenha sido apenas político mas uma revelação bombástica dá um novo rumo à história.

A adaptação é inovadora e ousada, os diversos gêneros dão a possibilidade de vermos a história por vários ângulos. Haider ao chegar em sua terra natal para procurar seu pai está quieto, retraído, mas ao ver sua mãe e seu tio em uma cena suspeita ele se revolta e enlouquece, e ao descobrir mais e mais coisas a sua sede de vingança vai aumentando.
Shahid Kapoor é um espetáculo e nos brinda com cenas inesquecíveis. O filme se destaca não só pelo roteiro e atuações, mas também pelo ótimo visual, figurinos e cores, além da belíssima trilha sonora da qual consiste em músicas folclóricas da Caxemira. Há uma sequência deslumbrante em que Haider revela verdades se apresentando cantando e dançando a canção "Bismil" no casamento de sua mãe e seu tio, sem dúvidas, uma das melhores partes do filme.
A relação com sua mãe é complexa e envolve muitos segredos, ela é intrigante e mexe demais com os nossos sentimentos. "Haider" é um filme sofisticado pela sua narrativa magistral, ritmo emocionante e atuações impecáveis.

Talvez o que menos interesse na história seja o romance de Haider e Arshia, mesmo tendo momentos bonitos, o que pesa é a relação de Haider e sua mãe, e a vingança que o toma por completo. Sua mudança é sensacional e cada detalhe se faz importante. A versão moderna da tragédia de Shakespeare com conflitos da Índia e Paquistão pelo território de Caxemira é realmente fascinante.
"Haider" encanta pela sua bela e intensa história e demonstra que Shahid Kapoor é um ator completo e não apenas um galã de filmes água com açúcar. Um maravilhoso exemplar do cinema bollywoodiano que merece atenção por sua ousadia em adaptar a já tão conhecida tragédia, e ainda assim ter características tão próprias. É pra aplaudir de pé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...