terça-feira, 10 de junho de 2014

A Canção dos Pardais (Avaze Gonjeshk-ha)

"A Canção dos Pardais" (2008) dirigido por Majid Majidi (Os Filhos do Paraíso - 1997) é um filme lindo, poético, cheio de metáforas e dilemas. A simplicidade é a grande marca deste diretor tão sensível.
a trama retrata Karim, um homem trabalhador que tem como profissão cuidar de uma fazenda de avestruzes, algo que requer bastante esforço e amor. O dinheiro é pouco e o custo de vida aumenta a cada dia, as necessidades aparecem aos montes, principalmente quando sua filha precisa de um novo aparelho auditivo. O filho menor tem o sonho de transformar a cisterna abandonada que fica próxima de sua casa em um aquário com peixinhos dourados. Karim repudia essa ideia e toda vez que o encontra lá com outros meninos o repreende. A vida segue até que um dia Karim é responsabilizado pelo sumiço de um avestruz e acaba sendo despedido. Para manter a casa e juntar dinheiro para o aparelho da filha começa a trabalhar acidentalmente de mototáxi na capital, Teerã. Dia após dia ele luta com a concorrência e com trabalhos que infringem sua moral, Karim é um homem do campo, honesto, com valores, orgulho, mas conforme vai se habituando ao ritmo da cidade, esses valores começam a se distanciar. A ânsia de ganhar mais e mais dinheiro, o passar por cima de outros trabalhadores, e tudo isso vai consumindo-o de maneira natural, o mais triste é que esquece do aparelho auditivo da filha e trata de maneira rude seu filho que apresenta uma rara esperança e alegria.
Karim todos os dias leva algo para casa, uma janela, uma porta, quinquilharias que não vai usar, mas mesmo assim as guarda, uma bela metáfora ao consumismo, onde compra-se em demasiado sem realmente precisar, no que acaba ficando parado e o pior, não passando pra frente, veja a cena em que a mulher dele dá a porta para uma amiga que necessitava, o quão triste é ver aquele homem se tornando num alguém egoísta e mesquinho. Ele buscou a porta e andou com ela nas costas por um longo caminho e a empilhou lá com a desculpa que iria usar. Ele fez uma pilha imensa no quintal de sua casa, coisas que ia pegando pelos lugares que passava, um dia ele cai lá do alto e se machuca feio, de cama Karim tem tempo de sobra para repensar seus valores e olhar a vida com outros olhos. A partir daí começamos a ver mais de perto o sonho de seu filho, e a delicadeza de sua filha ao mentir sobre o aparelho auditivo, são momentos únicos, mas extremamente profundos.

Sem poder fazer nada Karim observa o esforço de sua família, a mulher e seus filhos trabalhando, e o mais incrível, vê que o sonho de seu filho está virando realidade, ele e seus amigos limparam a cisterna e ganharam os tais peixinhos para o aquário desejado, também vê a filha dizendo que consegue ouvir, quando na verdade lê os lábios para entender. Ele acompanha a vida nos seus detalhes, e percebe o quanto se distanciou da tranquilidade e do amor. Mas infelizmente não há ganhos nesta história, talvez para mostrar que é através das perdas que nos tornamos fortes e sábios, dando valor para o que realmente é de verdade.
A cena mais bela é quando os garotos percebem que o balde com os peixes está furado, e então juntos correm para poder salvá-los, só que no caminho derrubam e aos prantos tentam juntá-los no chão. Perde-se tudo na vida, menos os sonhos, sempre há um recomeço para poder libertá-los de novo, a canção ao final revela este pensamento através dos olhos cansados de Karim, e dos sorrisos que se abrem aos poucos nos rostos das crianças. Há um futuro ali, mesmo que incerto.

Majid Majidi é um diretor de sensibilidade única, são histórias simples, situações que podem parecer mínimas, mas que na verdade contém uma carga reflexiva muito forte. E apesar de mostrar uma cultura tão diferente da nossa, ao mesmo tempo é parecida, até porque os filmes de Majid retratam sentimentos. E não há nada mais universal que isso.
Para aqueles que desejam conhecer o cinema iraniano, Majid Majidi é uma ótima iniciação, são filmes para corações sensíveis, pessoas que capazes de enxergar além das superficialidades, são sentimentos verdadeiros que acometem qualquer ser humano em qualquer parte do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...