quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Me Excita, Droga! (Få Meg På, For Faen)

O cinema norueguês é sempre uma grata surpresa, os longas são feitos com muito capricho. É somado criatividade, originalidade e competência ao fazer filmes com baixos orçamentos e recursos limitados. Conhecido como um cinema alternativo, a Noruega hoje em dia se preocupa demais com os adolescentes e jovens, buscando sempre solucionar seus conflitos pessoais para terem uma formação psicológica adequada. Isso se dá nos filmes, mostrando realismo e crítica social na maneira que o país lida com os jovens. Uma amostra disso é o filme "Vegas".
"Me Excita, Droga" é a história de Alma, uma adolescente que está desabrochando, sempre excitada, ela sonha com Artur, seu colega de escola. Alma vive em uma pequena cidade da Noruega, chamada Skoddeheimen, em que todos se conhecem e com direito até a vizinha bisbilhoteira. Alma junto com as amigas, especialmente Saralou sempre mostra o dedo toda vez que o ônibus escolar entra na sua pequena cidadezinha, demonstração de revolta. Adolescentes efervescentes em uma pacata cidade, não combina! Diferente dos filmes teen, esse mostra a visão de uma garota, as cenas em que ela fantasia transando com homens mais velhos ou com Artur, ou se masturbando não são poupadas, mas a trama segue de forma leve e bem divertida.
O filme traz até nós o olhar feminino sobre a garota que entra na puberdade, desejando, ansiando contato sexual, coisa pouco usual no cinema. Nessa falta do que fazer, eis que surge uma festa da escola, tão esperada, onde eles tem a chance de beber, azarar... Alma sai para fora da festa e Artur vai atrás dela, entre olhares, ele acaba "cutucando-a" com seu pênis. Alma é como toda adolescente e fala para todo mundo o que aconteceu, mas como Artur é admirado por todos, por fazer parte do coral e ser mais sociável, Alma fica com a fama de depravada e acaba sendo excluída do grupo. Sendo chamada de "alma cutucada". Ela tenta de tudo para se satisfazer, telessexo, revistas pornôs, masturbação. Sua mãe descobre suas ligações ao telessexo e não se preocupa em conversar, apenas a despreza, coisa que revolta a menina e a faz fugir para Oslo em busca de liberdade junto de amigos mais velhos, onde é aceita. Só que ela ainda continua amando o causador de sua desgraça, Artur. Ao final sua mãe a busca e finge entender a situação. Já Artur que omitiu o fato o tempo todo, que fez Alma parecer uma louca depravada, acaba confirmando para todo mundo o que de fato aconteceu. É engraçado o tema girar em cima desse lance que houve com eles, mas mostra que adolescente age de forma impulsiva em qualquer parte do mundo.

A mãe por conta de criá-la sozinha, a dificuldade de estar com a filha por causa do trabalho, deixando a garota à mercê do nada, já que a cidade onde mora não é lá aquelas coisas, sem dúvidas, ajuda a imaginação dela rolar solta. A mãe deveria prestar mais atenção na sua filha, conversar e entendê-la, ou pelo menos tentar, pois esse período é uma chateação total para quem vive e para quem está ao lado convivendo. Mas ao mesmo tempo é rodeado por descobertas, que a acompanharão pelo resto da vida e que são únicas e especiais. A adolescência é poesia, descoberta interior, e uma fase intensa. Apesar do tema abordado ser tabu, a masturbação e o despertar feminino é mostrado quase de forma pedagógica.
"Me Excita, Droga!" é um filme sem frescura e honesto ao colocar o despertar feminino como tema, algo tão pouco explorado no cinema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...