quinta-feira, 3 de maio de 2018

Os Estranhos (The Strange Ones)

"Os Estranhos" (2017) dirigido por Christopher Radcliff e Lauren Wolkstein é um filme inspirado no curta homônimo deles de 2011, é um puro suspense de atmosfera sombria, a sua narrativa prende o espectador mesmo com um ritmo lento e arrastado e é necessário prestar atenção em cada diálogo e detalhes das cenas, pois tudo se mistura, passado, presente e imaginação. É bastante imersivo, sua aura enigmática é super bem trabalhada e as camadas de ideias surgem aos montes.
Eventos misteriosos rondam a viagem de dois irmãos enquanto eles seguem caminho em meio a uma paisagem remota dos Estados Unidos. A princípio, tudo parece normal, mas o que parecia ser uma simples viagem acaba se tornando uma complexa teia de acontecimentos sombrios.
Sam (James Freedson-Jackson) e Nick (Alex Pettyfer) saem fugidos depois de terem cometido um crime, o assassinato do pai de Sam, observamos apenas Sam e logo um incêndio, Nick o resgata e juntos pegam a estrada aparentemente sem rumo. Tudo parece comum nesse começo, mas é preciso captar que a narrativa joga o tempo todo, mistura-se o tempo muito sutilmente, assim como a potente imaginação do garoto. A história vai dando pistas, mas é como se entrássemos num buraco escuro, o personagem central, Sam, é um garoto misterioso, há algo de estranho nele, porém Nick, apresentado como o irmão no início ajuda a confundir, não demora e percebemos que a relação entre eles é outra, os olhares são carregados de libido e quando param num hotel vazio no meio do nada temos a certeza da paixão obsessiva de Sam para com Nick, este que em nenhum momento o toca. A conversa que Sam tem com a moça que os recepciona nesse hotel é bastante elucidativa e sua personalidade é exposta mesmo que sombreada pela presença de Nick, pois ele diz que ela deveria ter medo de estar com eles sozinha ali, os dois poderiam ser assaltantes, ele poderia estar sendo sequestrado, ou ainda poderiam ser dois psicopatas, Nick é calado, tudo é sugerido por olhares e sempre há uma forte tensão sexual pairando no ar. Depois dessa conversa os dois saem do hotel e vão para uma cabana no meio da floresta, um lugar secreto onde nada os atrapalharia. Mas quanto mais a trama se desenrola menos certeza temos do que está acontecendo, seria tudo produção da mente de Sam e nada disso realmente existiu?

"As coisas dentro de sua cabeça, elas são tão reais quanto quer que sejam. Então se você quiser, pode simplesmente decidir que não são reais."

As interpretações dão credibilidade à história, Sam exibe uma faceta de indiferença aos demais e tem algo de manipulador ao mesmo tempo em que é frágil, Nick possui uma carga sexual, é um personagem ambíguo e que está ali para realmente confundir nossa interpretação sobre o menino, quando o foco fica apenas em Sam numa determinada parte aí temos a chance de perceber sua obsessão e o como é problemático. A sua imaginação com certeza conduziu quase toda a trama e os flashes de realidade também se intercalam entre passado e presente nos dando a chance de variadas conclusões. 

"Os Estranhos" é um filme intrigante que se não visto com atenção parece que nada faz sentido e que nada se conclui, ou que apenas toca em temas perturbadores, como violência, pedofilia e psicopatia, mas é um jogo de quebra-cabeças entre imaginação e realidade, o que a mente é capaz de produzir para escapar de algo ruim e também quando se tem um intenso desejo reprimido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...