terça-feira, 18 de julho de 2017

Pele de Asno (Peau D'âne)

"Pele de Asno" (1970) dirigido por Jacques Demy (Os Guarda-Chuvas do Amor - 1964) é uma adaptação musicada do conto de fadas homônimo escrito em 1695 por Charles Perrault, um clássico surreal e inebriante indicado tanto para o público infantil quanto para o público adulto, a história tem um narrador em off, a linda voz do ator Jean Servais e o enredo traz temas importantes e controversos, como o incesto e preconceito, mas sempre de maneira delicada, bem-humorada e amparada por uma aura psicodélica. A princesa interpretada pela maravilhosa Catherine Deneuve ao contrário de tantas outras princesas não fica à mercê do amor, ela é impetuosa mesmo tendo aspecto doce, aliás, as mulheres são fortes e decididas e fazem o que bem querem com os sentimentos dos homens. Alguns elementos modernos são incluídos e as cores, os figurinos, a trilha sonora dão um charme especial a este conto que consegue transpôr barreiras e atrair todos os públicos. 
Em um reino distante a rainha (Catherine Deneuve), em seu leito de morte, faz com que o rei (Jean Marais) prometa apenas se casar novamente caso encontre uma mulher ainda mais bela do que ela. Só que em todo o reino apenas uma pessoa atendia a esta condição: a própria filha da rainha. Desesperada, a princesa (Catherine Deneuve) busca ajuda com sua fada-madrinha (Delphne Seyrig), que sugere que ela peça presentes de casamento cada vez mais difíceis de encontrar, com o objetivo de adiar ao máximo a cerimônia. Enquanto isso a princesa consegue fugir do reino escondida sob uma pele de asno, vivendo de forma simples em uma cabana. Até que, um dia, um príncipe (Jacques Perrin) nota sua beleza.
A princesa ao receber a proposta do pai se assusta, mas em sua inocência fica confusa, ele é seu pai e o ama, não poderia recusar tal proposta, mas ao mesmo tempo fica incomodada e vai até sua tia, a fada lilás, que lhe dá conselhos e lhe diz que o casamento não poderia acontecer, pois um pai jamais poderia desposar a própria filha e diz para pedir presentes difíceis de encontrar para adiar a festa de casamento, mas o pai sempre se rendia aos desejos e lhe presenteava com os mais belos vestidos, a fada então diz para a princesa pedir a pele do asno do reino, uma espécie rara que defeca ouro, para surpresa da fada que ignorava a natureza daquele amor, a pele é entregue à princesa que imediatamente reclama de seu destino, mas eis que surge novamente a fada e pede para que fuja para bem longe vestindo a pele do asno, e ainda concede a sua varinha para que pudesse fazer aparecer o baú com seus pertences. O rei que se aprontava para o casamento logo de manhã ficou sabendo da fuga e mandou que revistassem todos os cantos e aldeias, mas não houve nenhum sinal da princesa.

"Afinal, não há bodas, não há baile, não há doces de festa."

Com a feição toda engordurada e suja ninguém a queria acolher, por onde passava era vista com maus olhos e era motivo de chacotas, por fim foi ser serviçal de uma bruxa asquerosa, apelidada de Pele de Asno passava os dias cuidando dos porcos e lavando trapos, foi instalada numa cabana no meio da floresta e apenas aos domingos depois de cumprir seus deveres abria seu baú e se embelezava diante do espelho. Solitária e esnobada por todos Pele de Asno seguia seus dias, até que a visita de um príncipe que passeando pela floresta encontrou a cabana e pela fresta da janela foi espiar, ela estava radiante e o príncipe ficou sem fôlego ao vislumbrar sua beleza, acometido pela paixão foi-se embora e isolou-se em seu palácio, não tinha mais apetite, não levantava de sua cama, só pensava em seu amor e quem seria aquela figura enigmática. Perguntou quem era aquela jovem da cabana e responderam que era Pele de Asno, que de bela não tinha nada, mas o príncipe não acreditava. A mãe preocupada com o filho se desesperava cada vez mais e decidiu que aquilo deveria terminar, perguntou o que poderia fazer para amenizar a tristeza e ele pediu que trouxesse um bolo feito por Pele de Asno. O desejo foi concedido e Pele de Asno fez o bolo e colocou um anel dentro, um sinal de que ela sabia que o príncipe a espiara aquele dia. Por pouco o príncipe não engoliu o anel e acometido por uma alegria decidiu que todas as garotas de todas as aldeias independente de condição social viessem experimentar o anel, vieram mulheres de todas as idades, de diversas posições sociais, algumas se submeteram a elixires para afinar os dedos, até que ao final apareceu Pele de Asno, todos escarneceram dela, mas o anel foi posto e serviu delicadamente em seu fino dedo, ela retirou a pele e o espanto foi geral. Ao colocar outro vestido sua beleza resplandeceu dentro do palácio e as medidas para o casamento logo foram tomadas. Toda a vizinhança foi chamada e também vieram nobres de lugares longínquos, alguns montados em elefantes, o pai da princesa também chegou de forma esplendorosa acompanhado por sua esposa, a fada lilás, o pai a cumprimentou ternamente, aparentemente nada restava daquele criminoso amor, e sua tia contou-lhe o resto da história. Foram três meses de festa.

"Pele de Asno" é um conto de fadas que tem como tema o incesto, isso seria perturbador senão fosse tratado com leveza e imaginação, a interpretação do conto pelas crianças é simples, a moral da história é o que a fada diz à princesa: "um pai jamais poderia desposar a filha". C'est fini! Já para os adultos a visão é mais amplificada e muitas possibilidades de interpretação se dão, a versão de "Pele de Asno" de Jacques Demy tem um disfarce infantil impecável, mas não deixa de ser desconfortante quando discutido a fundo. Outro ponto a se destacar na trama adaptada por Demy é a personagem da fada interpretada por Delphine Seyrig - musa de Alain Resnais - que esbanja características peculiares, ela é irônica e muito a frente de seu tempo, e até consegue interferir utilizando meios modernos, como um helicóptero em plena era medieval. Aliás, as mulheres do conto sempre estão decidindo algo e pondo-se a acertar as coisas, a fada, a mãe do príncipe, Pele de Asno tomando a iniciativa colocando o anel no bolo, etc. 

"Pele de Asno" é uma obra para ser passada adiante e ser revista inúmeras vezes, existem camadas e detalhes escondidos ou disfarçados, e esses somente olhos adultos conseguem enxergar, certamente uma brilhante adaptação. É possível encontrá-lo em DVD numa belíssima edição da coleção "Folha Grandes Astros do Cinema", os extras são tão primorosos quanto o filme, entrevistas, depoimentos, discussões e especiais maravilhosos, além da biografia de Catherine Deneuve disposta em um livreto. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...