terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Son of Mine (Gluckauf)

“Gluckauf” (2015) dirigido por Remy van Heugten é um filme holandês intenso marcado pela dura relação entre pai e filho.
Em Limburg, área onde havia uma próspera indústria de mineração, Lei (Bart Slegers) está desempregado e vive de pequenas maracutaias, divorciado da mulher ele busca o filho Jeffrey (Vincent van der Valk) para viver consigo. Sua vida desregrada afeta a personalidade do garoto que cresce em meio a pobreza e violência. Lei o ensina a caçar e conforme se desenvolve sua índole se torna cada vez mais agressiva. O amor entre eles é sufocante, são bandidos modernos e lutam para sobreviver na província de Limburg, no sul holandês empobrecido e negligenciado. Jeffrey trafica drogas e namora Nicole (Joy Verberk), enquanto seu pai vende coisas roubadas e de segunda mão. Lei está endividado com Vester (Johan Leysen), um criminoso impiedoso e, Jeffrey como um bom filho decide quitar essa dívida, mas para isso acontecer acaba se submetendo a situações degradantes. Vester vê futuro em Jeffrey e lhe confere serviços que o fará ascender na organização. Seu pai ao ver que seu filho se sobressaiu entra em conflito consigo mesmo, um misto de inveja e preocupação o invade.
“Gluckauf” é uma expressão dos mineiros alemães, que quer dizer boa sorte ao tentar achar alguma recompensa, e também algo como voltar em segurança pra cima. Os personagens são antipáticos, mas torcemos por eles, é desolador observar o quão longe as pessoas estão dispostas a ir para tentar sobreviver. Lei não é mau, seu desespero e angústia vai aumentando conforme os acontecimentos. Ele ao mesmo tempo que protege Jeffrey o inveja, se preocupa, mas também se sente desmerecido. Bart Slegers como Lei está impecável, uma atuação densa, impossível não se emocionar, suas expressões são dilacerantes. A imagem do poster exemplifica bem. Vincent van der Valk como Jeffrey também está ótimo, apesar de demonstrar pouco suas emoções, o filme mantém seu ritmo e prima pela dramaticidade envolvendo essa complicada relação.
A decadência dos personagens em razão do desemprego e a fé que depositam na criminalidade fere quem assiste essa obra. O filme exibe contrastes, a natureza verdejante e a brutal e cinza realidade, o amor de pai e filho e a feiura da pobreza e o abandono do local. Uma curiosidade é que o idioma falado é o limburguês, um dialeto falado na província.

Um ponto a se acrescentar é que as minas foram fechadas pelo governo por ser um trabalho considerado desumano, só que a situação das pessoas se tornaram tão graves quanto, ou elas iam embora ou ficavam a mercê do nada. Lei e Jeffrey são pessoas comuns que diante a falta de oportunidade se enveredaram pelo crime. O desfecho é uma porrada na cara e entristece, o sentimento de humanidade floresce e queremos um final pelo menos esperançoso, mas infelizmente não vêm. Nicole, a namorada de Jeffrey também sofre as consequências e Lei de alguma forma tenta expiar suas culpas, as sequências finais dilaceram, observamos o fundo buraco que o personagem cavou para si.
"Gluckauf" é um filme denso e que emociona, também conta com uma bela trilha sonora, "Mine Again" de Douwe Bob é lindíssima. É um filme inesquecível, o olhar de Lei penetra a alma e fica difícil não derramar algumas lágrimas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...