quarta-feira, 11 de abril de 2018

Pyewacket

"Pyewacket" (2017) dirigido por Adam MacDonald (Sobreviventes - 2014) é um filme de terror que prima por uma atmosfera sombria e tensa, o ritmo é vagaroso e o medo é incutido através de elementos sugestivos, o som também garante bons sustos e toda a narrativa é marcada por uma apreensão crescente e sutil.
Leah (Nicole Muñoz), uma adolescente frustrada e angustiada desperta algo no bosque quando ela ingenuamente executa um ritual oculto para evocar uma bruxa para matar a mãe (Laurie Holden).
Leah aderiu interesse pelo ocultismo depois da morte do pai e diante do comportamento abusivo de sua mãe que decide sair da casa para escapar das memórias do marido, a garota realiza um ritual para dar um fim na situação, planeja cuidadosamente cada detalhe, adentra a floresta e segue o passo a passo, a raiva lhe dá ainda mais motivação e invoca um ser sobrenatural, ela consegue despertar a criatura maligna que parece observá-la muito antes de agir. O filme tem um ritmo vagaroso e não se preocupa em assustar o espectador, mas sim promover o tempo todo a sensação de pesadelo, a tensão começa de fato quando Leah escuta ruídos dentro da casa e a paranoia se instala depois que se arrepende do ritual. Ela pede ajuda aos amigos, mas as coisas só pioram, ela tem alguma chance quando contata o escritor do livro de ocultismo que estava lendo e ele lhe diz para tomar cuidado com o que se mostra a sua frente, pois a criatura toma várias formas, mas Leah se perde nessa espiral e as consequências de seu desejo inicial se tornam trágicas. 
Uma característica tenebrosa é a utilização de sombras, como no momento do canto da parede, são imagens que induzem ao medo e garantem arrepios, mas não são a todo momento que aparecem, uma vez ou outra e só, o suficiente para marcar e dar pesadelos após a sessão. O black metal rege a trilha sonora e é outra maravilha, Carach Angren, Ministry, I Killed The Prom Queen, Interpol, entre outros. Os ruídos merecem destaque também, por exemplo, na cena em que Leah caminha e parece haver outra pessoa caminhando atrás de si. Aliás, a sensação de estar sendo observada é a grande sacada, a câmera em pontos estratégicos dá essa vibração. E o desespero cresce na garota, sua tentativa de reverter o ritual com outro só a deixa mais pirada, pois a criatura confunde sua realidade. 

Apesar de toda a atmosfera sobrenatural o filme também carrega a sua parte de realidade ao demonstrar a dificuldade do relacionamento entre mãe e filha, a fase complicada que é a adolescência e lidar com mudanças e perdas, toca no ponto do perigo que é acreditar demais em crenças e não conseguir definir o que é imaginação ou não, até porque desejar algo com muito afinco é sempre sinal de obsessão.

"Cuidado com o que você deseja, alguém pode estar ouvindo."

"Pyewacket" é um diferencial dentro do gênero, pois sua abordagem lenta e sutil provoca grandes momentos de horror e desespero. Sua crescente de tensão é intensa e é eficaz em produzir medo. Vale a conferida!

Um comentário:

  1. Tinha lido sobre este filme em outro site e fiquei com a impressão de ser mais um terror genérico.

    Agora seu texto me deixou curioso.

    Abraço

    ResponderExcluir

SE FOR COMENTAR, LEIA ANTES!

NÃO ACEITO APENAS DIVULGAÇÃO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...